Foto: Governo do Paraná
© Governo do Paraná

O governador Carlos Massa Ratinho Junior apresentou nesta quinta-feira (14) os potenciais e ativos do Paraná para os três maiores fundos soberanos de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos. Somados, o Abu Dhabi Investment Autority, o Mubadala Investment Company e o Abu Dhabi Fund for Development administram um capital global estimado em mais de US$ 3,5 trilhões (cerca de R$ 19,2 trilhões).

A visita integra a missão técnica-comercial do Governo do Estado ao País do Oriente Médio, uma agenda paralela à Expo Dubai 2020 e ao Paraná Business Experience.

Ratinho Junior destacou a preparação do Estado para se tornar o hub logístico da América do Sul, com diferentes oportunidades de investimentos em infraestrutura. Mencionou, entre outras ações em andamento, o novo processo de concessão de rodovias, em parceria com o governo federal, o planejamento para a construção da linha férrea ligando Maracaju (MS) ao Porto de Paranaguá e a própria ampliação da capacidade logística do terminal marítimo paranaense.

“Estamos falando em mais de R$ 70 bilhões em investimentos privados. Propostas que vão mudar a realidade do Paraná, facilitando a conexão com o restante do mundo. Com isso, tudo o que for produzido no nosso Estado vai ganhar mais competitividade, gerando emprego e renda para os paranaenses”, afirmou o governador. “O mundo está de olho no Paraná, não podemos perder essa oportunidade”.

Durante a apresentação, Ratinho Junior lembrou que em sete anos, o Paraná vai aumentar de 36% para 90% a quantidade de estradas em concessão com pista dupla. Segundo ele, o novo modelo de concessões de rodovias está baseado na menor tarifa com garantia de obras, e trará R$ 44 bilhões em investimentos diretos nas estradas do Paraná.

No total, 3.327 quilômetros de rodovias integram o pacote, subdivididos em seis lotes, caracterizando o maior projeto de concessão do tipo em todo o Brasil. “O valor em investimentos é o equivalente a 120 anos de orçamento federal para rodovias que seria destinado ao Paraná”, afirmou.

NOVA FERROESTE – Desenvolvido pelo Governo do Paraná, o projeto da Nova Ferroeste, que está em fase de conclusão de estudos, vai ligar o Mato Grosso do Sul ao Litoral do Paraná. Ao todo serão 1.304 quilômetros de extensão. A ferrovia criará um dos mais importantes corredores de exportação do Brasil. A expectativa é viabilizar o transporte de 38 milhões de toneladas de carga no primeiro ano de funcionamento. Destes, 26 milhões de toneladas seriam exportadas pelo Porto de Paranaguá.

“A intenção foi avaliar a possibilidade dos Fundos de participar do financiamento do projeto. O Brasil está no radar deles, como estratégia de negócio na América Latina”, ressaltou o coordenador do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Henrique Fagundes.

A transformação logística desencadeada pela execução do projeto vai impactar diretamente a economia nacional. Estima-se que a redução do custo logístico seja de 30%, o que deve tornar os produtos mais competitivos no mercado internacional e permitiria ainda a redução de preços nas gôndolas dos supermercados. “Vai mudar completamente a infraestrutura logística do Estado”, disse Ratinho Junior.