A perturbação do sossego foi a ocorrência que mais demandou a Polícia Militar durante o Carnaval 2022 nas cidades do Litoral. O relatório do setor de planejamento do Verão Paraná – Viva a Vida 2021/2022 aponta que nos cinco dias de feriado foram atendidas 219 ocorrências desta natureza e encaminhadas 49 pessoas para lavratura de Termo Circunstanciado. Durante o feriado de Carnaval, a Polícia Militar ampliou a atuação contra os crimes, incluindo a perturbação do sossego, com reforço de policiamento preventivo nos sete municípios litorâneos. Segundo o comandante do 1º CRPM, coronel Renato de Oliveira Ribas Filho, a utilização da Patrulha do Sossego no Litoral agilizou o atendimento à população. "Esta patrulha já tem um know-how de muitos anos e atua em Curitiba e outras cidades maiores do Paraná e veio nos ajudar no Litoral, por conta do grande fluxo de pessoas, para incrementar nossas ações e permitir um feriado mais tranquilo aos veranistas. Foi um trabalho muito importante para dar um amparo melhor às nossas equipes”, disse. A atuação da Patrulha do Sossego aconteceu em conjunto com a Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU). A coordenadora dos trabalhos durante o Carnaval no Litoral, tenente Caroline Félix, explica que o foco das ações foi o atendimento às solicitações da população pelo 190. Somente a Patrulha abordou mais de 200 pessoas, registrou 50 Boletins de Ocorrência por perturbação e apreendeu 36 conjuntos de som. “Houve algumas ações policiais no combate a essas situações. Ao longo dos dias de operação, constatamos uma grande quantidade de pessoas na orla, nas praças, com som particular, fazendo sua festa. Tivemos várias solicitações nesse sentido. Nosso trabalho ajudou não só no atendimento aos casos, mas ajudou na prevenção de outros crimes que poderiam ocorrer por conta do som alto”, disse. CONSCIENTIZAÇÃO – O trabalho da Polícia Militar para frear a incidência desses casos ao longo do verão têm sido por meio da conscientização dos cidadãos e da intensificação de policiamento e abordagens. O comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM), tenente-coronel Luiz Renato Rodrigues Júnior, explica que quando as equipes fazem o atendimento de uma ocorrência de perturbação do sossego, a primeira ação é a orientação ao causador do problema. “A Polícia Militar faz orientação para cessar o som alto e reestabelecer a tranquilidade. Em um segundo momento, depois da orientação da Polícia Miliar, se o autor não se convenceu que deve baixar o volume, e continua fazendo, é feito o encaminhamento para Termo Circunstanciado pela própria PM, e o equipamento de som é apreendido, ficando à disposição da Justiça”, disse.