Alunos de medicina da Universidade de São Paulo (USP) denunciaram a estudante Alicia Dudy Muller Veiga, de 25 anos, por um suposto golpe: ela teria desviado aproximadamente R$ 927 mil do fundo de formatura da turma. 


 A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que o caso é investigado pelo 16º Distrito Policial, que instaurou inquérito para apurar crime de apropriação indébita. Os envolvidos foram intimados para prestarem esclarecimentos. De acordo com a comissão de formatura: A suspeita afirmou, por meio de mensagens no WhatsApp, que transferiu a quantia para uma conta pessoal; Ela alega ter aplicado R$ 800 mil em uma corretora de investimentos chamada Sentinel Bank, que a teria enganado e ficado com o dinheiro; A quantia restante teria sido utilizada para pagar advogados na tentativa de recuperar o valor A Comissão só percebeu o desvio no dia 6 de janeiro deste ano. 

Uma das vítimas registrou a ocorrência no dia 10
"De toda a história contada pela [suspeita], o único fato que temos certeza é a transferência do montante guardado sob custódia da empresa ÁS Formaturas para uma conta pessoal dela. Ainda estamos averiguando em que contexto foram realizadas as transferências", disseram em nota os membros da comissão.
A ÁS Formaturas disse que "todas as transferências foram realizadas rigorosamente conforme estabelecido nas cláusulas contratuais" e que estão à disposição das autoridades para o fornecimento de documentos. Em nota, a Faculdade de Medicina da USP afirmou que
"os fatos estão sendo apurados, buscando-se identificar os responsáveis pela fraude e a Diretoria está apoiando na orientação aos alunos envolvidos".

Investigação por estelionato e lavagem de dinheiro
Alicia Dudy Muller Veiga já era investigada por estelionato e lavagem de dinheiro. Ela teria realizado grandes apostas em uma casa lotérica na Zona Sul de São Paulo e dado o prejuízo de R$ 192,9 mil aos proprietários. 

 Em julho de 2022, a Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar os fatos. Segundo um depoimento presente no documento, de autoria de um representante da lotérica: Em abril de 2022, a suspeita fez quase R$ 20 mil em apostas na 'Lotofácil', todas pagas via Pix; Depois disso, passou a fazer várias apostas em grandes valores; No total, ela teria apostado R$ 461 mil; Em julho de 2022, a estudante teria solicitado R$ 891,5 mil em apostas; A gerente da lotérica questionou sobre o pagamento, e a suspeita disse que foi realizado um agendamento; A estudante, então, teria realizado uma transferência de R$ 891,53 na tentativa de fazer com que os funcionários da lotérica pensassem que seria o valor total de R$ 891,5 mil; Após breve discussão, a suspeita saiu da lotérica sem pagar cinco apostas de R$ 38,7 mil cada, totalizando R$ 193,8 mil

Fonte:G1